]

Coluna do Drumma: Compare os números dos principais candidatos ao trono do MMA, e tire suas próprias conclusões

0

Nocaute de Jon Jones sobre Daniel Cormier reacende a discussão de quem foi o maior lutador de todos os tempos

Por: Felippe Drummond (Editor: Victor Nunes)

A vitória de Jon Jones sobre Daniel Cormier, na luta principal do UFC 214, realizado no último sábado (29), reacendeu a eterna discussão sobre quem é o maior lutador de MMA de todos os tempos, gerando assim uma enxurrada de comentários sobre este assunto nas redes sociais. 
Há quem já considere o norte-americano Jon Jones o maior, mas também há quem bata o pé e eleja o russo Fedor Emilianenko o dono deste posto. O brasileiro Anderson Silva e GSP também aparecem nas discussões e correndo por fora, Demetrious Johnson, também tem seu lugar dentro dessa grande polêmica.  
Mas, para sermos justos aos atletas que estão inseridos nesse imbróglio, é preciso olhar o recorte de cada um deles durante o período em que estiveram em ação no seu auge. 
Jon Jones. Vamos começar pelo responsável por essa discussão estar novamente ativa. Bones tem apenas nove anos de carreira no MMA, e possui o incrível cartel de 23 vitórias e apenas uma derrota (que na verdade foi um no contest). Apesar deste pouco tempo, ele enfrentou e derrotou todos que cruzaram seu caminho, dominando a maioria. Correndo risco apenas contra Gustafsson, em uma luta que ele mesmo disse que não fez uma boa preparação. Ou seja, Jones lutou com os melhores de sua época e derrotou a todos. 
Apenas a título de informação, para analisar os outros lutadores com justiça, vou me ater ao melhor recorte, em um período de nove anos, dos outros lutadores. 
Fedor Emilianeko. De 2000 a 2009, o russo conseguiu a maior e melhor sequência de vitórias de um lutador de MMA, considerando apenas os grandes eventos. Foram 28 vitórias consecutivas enfrentando os melhores adversários que existiam no planeta e em dois pesos diferentes, meio-pesado e pesado. Neste período, Fedor fez 33 lutas, com 32 vitórias e uma derrota. 
Anderson Silva. Como questionam a qualidade dos adversários do Spider antes do UFC, vou usar o período de 2006 a 2015, para ter o mesmo recorte de nove anos. Neste recorte o brasileiro fez 19 lutas, e venceu 17 (considero o ‘No Contest’, contra Diaz uma vitória já que ambos estavam dopados). 
Apesar de ter feito algumas escolhas de adversários, Anderson foi dominante neste período e em algumas lutas teve atuações espetaculares, o que ajudou inclusive o mundo olhar para o MMA com mais respeito. O Spider foi um verdadeiro artista marcial. Além disso, é preciso colocar na balança que as suas derrotas para Chris Weidman aconteceram de formas surpreendentes, seja por brincadeira em excesso, ou pela fratura, mas em ambas ele já estava perdendo o combate nos pontos. Enfim, o brasileiro tem seu lugar garantido nessa lista. 
Georges Saint-Pierre. Assim como Anderson o recorte do canadense é todo dentro do Ultimate. De 2004 a 2013, GSP fez 22 lutas, com 20 triunfos e dois revezes. Antes de mais nada é bom lembrar que suas derrotas foram para ninguém menos que Matt Hughes e Matt Serra, lendas do esporte. A segunda inclusive foi considerada por muito tempo a maior zebra da história do MMA! Enfim, apesar de não ter um estilo tão atrativo como todos os outros, é inegável que GSP foi talvez o maior atleta, na concepção da palavra, que já vimos. Mas se comparado com JJ, AS e Fedor, ele está um degrau abaixo. 
Demetrious Johnson. tem tudo para superar todo mundo, pelo menos nos números. Porém ele se beneficia de ter entrado em uma categoria nova, que não tem tantos talentos como a dos outros analisados. Mesmo assim, no recorte entre 2007 e 2017, ele tem 26 vitórias e duas derrotas. PEnsando que uma delas foi para o Dominick Cruz no auge, o que não é demérito para nenhum lutador, ele só tem uma atuação questionável neste período, que foi contra Brad Pickett, em 2010, quando perdeu na decisão dos árbitros. 
José Aldo. Apesar de ninguém colocar o manauara nessa lista é preciso reconhecer que apenas o fato de ter ficado quase 10 anos invicto já é uma credencial e tanto. Aldo entre 2006 e 2015, fez 19 lutas, com 18 vitórias e uma derrota. Se quiser contabilizar mais duas lutas (1v1d) também pode. Enfrentou os principais nomes que podia, limpou uma divisão forte e também deu vários espetáculos, chegando a ser o lider do ranking p4p. 
Menção honrosa
Conor McGregor. O irlandês já fez muita coisa, surpreendeu quem achava que ele era apenas mais um queridinho do UFC. Conquistou dois cinturões, mas esta muito mais preocupado em fazer dinheiro e marcar seu nome pelas “loucuras” como atleta, do que se tornar o melhor lutador de MMA de todos os tempos. Tem o potencial para isso, resta saber se ele quer. 
Minha humilde opinião
Agora que já fiz meu trabalho de fornecer as ferramentas necessárias para que cada um chega a sua própria conclusão, seria injusto eu não expressar a minha opinião acerca dessa discussão. Vamos lá: 
Antes dessa luta acontecer eu havia falado que caso o Jon Jones vencesse o Daniel Cormier ele empataria na liderança com o Fedor. Mas, da forma que o triunfo aconteceu, considero que ficou complicado não falar que seus feitos são inferiores aos do Fedor.
Jon Jones estava voltando de um longo período de inatividade, e pior, de um período ainda maior sem ter uma luta que lhe exigia ao máximo (Ovince Saint Preux não conta, pois foi um combate casado apenas para lhe dar ritmo). Além disso, ele tinha pela frente um adversário que estava em seu melhor momento da carreira, DC é um lutador duríssimo e que vinha limpando a categoria durante a ausência de JJ. 
Por tudo isso, assim que Bones nocauteou DC, eu mudei minha opinião. Para mim, Jon Jones já pode ser considerado o maior e melhor lutador de todos os tempos. É insano fazer o que ele fez, nas circunstâncias apresentadas. 
Ainda assim, ele pode tornar este “rótulo” de melhor da história caso derrote outros dois adversários em especial. O primeiro é Anthony Johnson e seu canhão no braço. O segundo é Alexander Gustafsson, que foi o único até hoje que lhe ofereceu perigo real. Caso isso aconteça no futuro, ninguém mais poderá duvidar do monstro que é Jon Jones. 
Share.

About Author

Victor Nunes

Leave A Reply