Exclusivo: Treinador de Predita isenta Yamasaki e fala sobre sua visão do combate contra Shevchenko

0

Co-luta principal do UFC Belém causou uma avalanche de opiniões no mundo do MMA

Por: Bill Santos

O confronto entre Priscila Cachorreira e Valentina Shevchenko foi um dos maiores debates durante o UFC Belém, lesionada a brasileira se manteve no cage o tempo que suportou diante de uma adversária duríssima.

A finalização no segundo round da luta foi o estopim para uma chuva de críticas tanto para o árbitro do duelo, Mario Yamasaki, quanto para o treinador da atleta Gilliard Paraná. É necessário sempre entender os dois lados da história, muito se foi dito sobre a atuação do treinador da atleta da PRVT, porém, ninguém melhor que o próprio Gilliard para expor o seu ponto de vista e falar o que realmente houve naquela noite.

Em entrevista exclusiva para o ‘”MA Premium”, o coach isenta completamente o juiz do embate e afirma que naquele momento seria impossível prever uma lesão de tanta extensão:

– O que aconteceu foi que pegamos uma luta muito dura, que muitas não quiserem aceitar, tem muita lutadora famosa que não quis pegar essa luta. Como a Pedrita iria lutar em dezembro, mas a luta foi cancelada, estava muito ansiosa para estrear no evento e, também, precisando de dinheiro, pois investiu no camp e paga aluguel, tem família. Quando surgiu a luta eu não queria que ela aceitasse, mas a Pedrita insistiu várias vezes que gostaria de aceitar e era para mim casar essa luta, ela invicta com 8 vitorias, ganhou o Prêmio Osvaldo Paquetá, enfrentou adversárias duras no Brasil, era considerada a número no ranking (cenário nacional). Eu não queria de começo, mas depois pensei, ela vem de oito vitórias e uma derrota para a melhor lutadora do UFC, para mim a Valentina é a melhor peso por peso das categorias femininas, e decidimos aceitar a luta. Sabíamos que a chance de ela ganhar era pouca, jamais falamos que era uma luta bem casada, mas sabíamos que a Pedrita tinha as mãos muito dura e aguenta muita porrada, se a luta não tivesse indo por chão ela teria chance de ganhar, com certeza.

Aconteceu que no começo da luta a estratégia foi toda por água abaixo porque ela deu um passo torceu o joelho, deu outro passo e torceu de novo e ferrou com o joelho todo. Tanto que você vê que na primeira entrada da Valentina a Pedrita faz a defesa com a parte superior do corpo certinho, mas a parte de baixo não acompanhou e acabou levando a queda. Passou o primeiro round de guarda fechada com uma dor horrível no joelho, depois da luta ela me falou, e no intervalo eu não sabendo que a lesão era tão grave, falei para ela continuar e passei as coordenadas do que queria que ela fizesse no segundo round. Ela reclamou de dor, mas dor todo o lutador sente, no intervalo do round não tinha como saber a extensão da lesão, nem o médico poderia saber naquele momento, a não ser que se parasse para examinar e ali não tem tempo para isso. 

No segundo round ela começou querendo fazer a estratégia, mas a Valentina colocou para baixo e fez o que vocês viram. Não acho que o Mário Yamasaki errou pois ela estava se movimentando o tempo. Ninguém tem culpa pelo que aconteceu pois é luta, quem luta sabe que está ali para levar porrada. A Pedrita tem um histórico de aguentar muita porrada, pois já quebrou braço na luta e não desistiu, quebrou nariz e não desistiu, levou alguns atrasos nessas 8 vitórias dela e reverteu o combate. E ali podia acontecer o mesmo, mas o principal fator para a luta ter sido como foi, foi a lesão no joelho. Lógico que a Valentina era a favorita, mas se Pedrita não tivesse se machucado poderia perder a luta, porém, sendo mais competitiva

Falando sobre sua pupila, o treinador afirmou que Priscila tem feito treinos parelhos com um dos maiores nomes do Ultimate, a também brasileira Jessica Andrade:

 – O povo fala o que quer, se esquecem do que ela fez aqui no Brasil. Acham que ela não teria nenhuma chance de ganhar, mas ninguém entra no UFC se não tiver alguma chance de vencer o outro atleta. Pois, se entrou lá é porque fez algo antes de entrar. Aqui na academia eu tenho a número 2 peso-palha do UFC, e a Pedrita faz treinos parelhos com a Jéssica. Esse é o nosso termômetro e não podemos estar tão enganados assim. Pode ser que ela tenha sentido estrear no UFC, devido a grandeza do evento, ficou famosa, mas o principal fator foi o joelho – finalizou Paraná.

Share.

About Author

Bill Santos

Abílio Santos, CEO do MMA Premium, sócio da Try mídia e atendimento na Seri.e Design. Todo sucesso vem do esforço e para isso não meço limites, um eterno fanático por inovação pela evolução.

Leave A Reply