A disputa do cinturão interino meio-médio está marcada para o UFC 225 em Chicago

Por: MMA Premium

Ao que parece o UFC quis evitar alguma confusão mais grave e marcou a luta entre Rafael dos Anjos e Colby Covington para o UFC 225 em Chicago. A disputa do cinturão interino dos meio-médios foi especulada para o UFC 224 no Rio de Janeiro e Rafael dos Anjos falou ao “Combate” sobre isso:

Estava feliz em voltar a lutar no Rio dez anos depois. Da minha parte estava tudo certo, contrato assinado pro dia 12 de maio. Mas depois da confusão toda do McGregor em Nova York, essa luta acabou sendo transferida pra Chicago. Pra mim foi bom por um lado, porque ganhei mais tempo de preparação. Ele está fazendo de tudo para arrumar um motivo para pular fora dessa luta. Ficou exigindo mil coisas com relação à segurança no Rio, mas agora vai ter que matar no peito. Botou uma bronca, xingou todo mundo, fez isso e fez aquilo, agora vai ter que ir lá. Vou ter que cobrar o prejuízo dele. A luta pode ser aonde for, no Brasil ou EUA, que esse cara vai levar uma surra do mesmo jeito.

Sobre as provocações de Colby, as ofensas ao Brasil, Rafael dos Anjos afirma que:

 Acho que o Colby cruza a linha. É um McGregor amador. Ele falta com o respeito, chega no país das pessoas e xinga os moradores, xinga as pessoas daquela pátria, como ele fez com o Brasil. Fico imaginando se algum brasileiro ou uma pessoa de outra nacionalidade viesse aos Estados Unidos e fizesse a mesma coisa. Como seria? Acho que ele falta com o respeito. Artes marciais tratam sobre respeito. Você tem que ter respeito por um cara mais graduado, respeitar a próxima pessoa. Eu, na minha vida, aprendi muito com isso. Era um garoto muito agitado na escola, e a arte marcial me trouxe esses valores. O que eu quero mostrar para esse cara é que a arte marcial tem valor, não é só chegar ali e se trancar num cage e brigar. Tem toda uma coisa por trás disso, tem um país e pessoas que você não pode ofender. Estou nesta missão para defender meu país, defender minha nação. Esse cara tem falado barbaridades de brasileiros. Já lutei nos Estados Unidos várias vezes, você ser vaiado na casa dos outros é normal, mas você tem que ter jogo de cintura pra lidar com isso. Os fãs estão na arena empolgados, alguns bebendo, e você tem que saber (lidar), muitos não tem noção do que é a luta realmente, mas você não tem o direito de chegar na nação das pessoas e sair xingando todo mundo. Ele vai ser cobrado.

Sobre o estilo de luta de Colby Covington baseado no wrestling, Rafael afirma que:

Ele tem um bom wrestling, tem um jogo de trocação estranho, mas tenho amigos que já treinaram com ele, meu treinador de wrestling mesmo já deu uns treinos com ele. Ele é forte, e tem um estilo meio desajeitado na trocação, não é especialista, mas tem um jogo sólido de wrestling. Acredito que a estratégia dele vai ser tentar me colocar na grade. Ele nunca lutou cinco rounds, acho que isso é um ponto favorável para mim. Ele vai tentar ficar me agarrando ali e comer o tempo, segurar o meu ritmo de luta. Mas eu vou para a luta para correr riscos, para puxar o ritmo da luta. Mesmo que ele me derrube, eu vou levantar e acelerar o ritmo da luta. Acho que é nessa que vou conseguir me dar melhor.

 
Share.

About Author

Claiton Freitas

Um jovem gaúcho apaixonado pelo mundo das artes marciais mistas.

Leave A Reply