Exclusivo: Vicente Luque fala sobre os desafios da carreira, e mira UFC SP

0

Vicente Luque vem de uma grande vitória “em casa” no UFC Chile

Por: Bill Santos e Claiton Freitas

Aos 26 anos, Vicente Luque vem de duas vitórias seguidas, sendo a última no UFC Chile com grande parte de sua família na plateia, em um momento muito especial para o lutador. Com um cartel 13 vitórias, seis derrotas e um empate, Luque vem se firmando na divisão dos meio-médios.

Vicente Luque nos falou da emoção de vencer “em casa” já que tens parte da família chilena?

Eu venci “em casa” foi uma luta muito boa, eu conseguir executar o plano. O meu adversário era um cara que se movimentava muito bem. No início tive dificuldade de encontrar o tempo, mas no decorrer do round comecei a achar como era a movimentação dele e conseguir aplicar o nocaute e vem vencer em mais uma das minhas casas. Foi muito especial para mim. Tinham muitos familiares assistindo a luta, minha vó estava lá, meu pai, meus primos, meus tios, minha mãe e minha noiva, todo mundo estava na arena, então isso foi muito especial para mim. 

Com o UFC São Paulo marcado para setembro, você gostaria de lutar no evento?

Acredito que São Paulo é uma possibilidade sim, eu estou bem, estou treinando já essa semana. Vamos conversar com o UFC e vê o que aparece.

Qual foi a luta mais dura de sua carreia até o momento?

Acredito que minha luta mais dura até o momento tenha sido contra o Leon Edwards, foi uma luta aonde eu acabei perdendo, mas eu acredito que poderia ter saído com a vitória naquela luta. Eu cometi alguns erros durante a luta, o que me custou a vitória. Acredito que tenha sido a luta mais dura, pois hoje ele é um cara que está ranqueado no top 15 e vai lutar contra o Donald Cerrone, tem mostrado muita qualidade. Mas, é uma luta que eu poderia ter saído com a vitória, mas ele foi um dos adversários mais duro que enfrentei até hoje.

Os brasileiros estão perdendo os cinturões em vários eventos, isso aumenta a pressão?

Eu acho que os brasileiros perderem os cinturões não aumenta a pressão, na verdade, pelo contrário. Para mim me dá mais vontade de estar treinando e ir lá e representar o Brasil da melhor maneira. Eu tenho certeza que esses brasileiros que perderam fizeram o melhor no seu treinamento e, também, entrarão lá para dá o seu melhor. Mas, nem sempre conseguimos dá o nosso melhor, é muito mais que só treinar ir lá e vencer. O adversário também está treinando, está se preparando para ir lá e conseguir vencer, então acho que a luta é isso tem dias que perdemos e tem dias que vencermos. Nós tentamos fazer de tudo para que sempre saímos com a vitória, mas infelizmente não é sempre assim. O fato de alguma galera ter perdido, os brasileiros terem perdidos os cinturões mais me motiva a está podendo ir lá e dando o meu melhor para poder disputar um cinturão, que ainda não tive chances. E meu maior foco é ser campeão, e estou seguindo o plano para alcançar meu objetivo.

O que é ser atleta para você?

Ser um atleta para mim é mais que tudo foco. Foco porque o esporte é algo que é difícil, principalmente aqui no Brasil, mas eu acho que em qualquer lugar do mundo ser atleta é algo que exige muito foco e dedicação. No início sempre vai ser complicado, no início não existe o apoio e você começa em eventos menores, você começa ganhando muito pouco que você nem consegue se sustentar apenas com o esporte. É uma coisa que você precisa acreditar que lá na frente você conseguirá, você precisará de foco e dedicação para começar a despontar e, aí sim, você começará a viver do esporte. O foco e a dedicação são muito importantes para um atleta ser bem-sucedido, acreditar naquele sonho que ele tem, continuar treinando, continuar se dedicando, não se abalar com derrotas, não se abalar com a falta de apoio, muitas vezes você vai ter q acreditar sozinho sem o apoio das pessoas próximas. Eu tive muita sorte de ter minha família, minha noiva, de ter uma equipe que sempre meu deu muito apoio, mas as vezes você precisará daquele e foco e determinação para chegar lá.

Vicente Luque vem se destacando na categoria,cujo o campeão é o americano Tyron Woodley, e pode se considerado um dos bons nomes da nova geração brasileira dentro do UFC.

Share.

About Author

Claiton Freitas

Um jovem gaúcho apaixonado pelo mundo das artes marciais mistas.

Comentários no Facebook