Artigo: É possível ser campeão do UFC ou Bellator treinando só no Brasil?

0

O MMA Premium entra no debate sobre se é possível ser campeão do UFC ou Bellator treinando só no Brasil

Por: Claiton Freitas

Atualmente, o caminho natural dos lutadores brasileiros de MMA, em sua maioria, é iniciar a carreira aqui e acumular um bom cartel nos eventos nacionais. Posteriormente, migram para academias nos Estados Unidos visando entrar ou se manter dentro de grandes organizações como UFC e Bellator.

Mas existem os casos de sucesso que não seguiram esse caminho como por exemplo: a equipe Nova União do Rio de Janeiro comandada por Dedé Pederneiras. A Nova União é a casa do ex-campeão dominante dos penas no UFC, José Aldo, que marcou sua história no MMA do Brasil e se tornou uma referência no esporte nacional.

Outro caso de sucesso no UFC treinando no Brasil é Jessica Bate-Estaca Andrade. A ex-campeã peso-palha do evento presidido por Dana White fez sua carreira na PRVT sobre o comando de Gilliard Paraná, a equipe é um celeiro de jovens promessas do MMA nacional, com ênfase no MMA feminino, a PRVT Girls. O líder da PRVT, Gilliard Paraná falou sobre o cenário do MMA no Brasil e suas dificuldades:

Acho que não só pra mim como para todos, é a falta de apoio e incentivo. Eu venho de família simples, mãe doméstica, pai pedreiro, separados. Então eu não tinha o apoio dentro de casa, porque não tinha a estrutura. Além do esporte não ser algo que os pais pudessem acreditar na época. Apoio do governo e empresários era muito difícil. Eu tive alguns patrocinadores na minha época de atleta, mas nada que fosse suficiente para eu poder me dedicar apenas na luta. Então a grande dificuldade sempre foi essa, ter que trabalhar como segurança, nas obras, dando aula e intercalando isso com os treinos e com ser um atleta profissional. Então acho que a maior dificuldade para todos é mais ou menos a mesma.

Ademais, no Bellator, um dos vários casos de sucesso é o dos irmãos Pitbull que fundaram a Pitbull Brothers. O duplo campeão Patricio Pitbull é um exemplo de atleta de que chegou ao topo do MMA treinando no Brasil. Para saber mais sobre a Pitbull Brothers confira a participação de Patricky Pitbull na Live Premium, clique aqui.

O MMA Premium conversou com Rene Soldado, atleta da Power Lotus Team, sobre ser um campeão treinando no Brasil durante sua participação na Live Premium. Ademais, Rene Soldado afirmou que:

Temos ferramentas e material humano pra isso. A única coisa que seria um obstáculo é a falta de apoio ao atleta. Apoiar pra ele viver 100% da luta. Isso traria vários campeões para o Brasil.

Assim, o head-coach da Capital da Luta e ex-campeão do BRAVE CF, Lucas Mineiro também falou sobre o assunto:

Com certeza sim, eu sou prova disso fui campeão mundial do BRAVE CF treinando no Brasil! Importante ter grandes profissionais aos seu Lado para isso, como preparados físicos, e o mais importante o material humano, treinar em alto rendimento com atletas de nível mundial te faz crescer como atleta para ser Campeão um dia!

Ver essa foto no Instagram

Como todos viram, o evento do @bravemmaf em Balneário Camboriú 🇧🇷 onde o @flavio.dequeiroz e eu iríamos lutar, acabou de ser cancelado devido à pandemia do corona vírus! Trocaram várias vezes meu adversário, mas me mantive focado em todos. Espero que isso não afete mais nenhum país e que tudo volte ao normal e que possamos fazer o nosso trabalho o quanto antes! Agradeço ao @bravemmaf pela preocupação com todos do evento e parabéns pela grande responsabilidade. Espero estar de volta dentro da gaiola em breve! Estarei sempre pronto! #bravemmaf #TeamMineiro #CapitaldaLuta @capitaldaluta @teobittar @denis.vieira.wrestling @zeboxe @ademirelias_jr @ftsergio @vita.org.br

Uma publicação compartilhada por Lucas “Mineiro” Martins (@lucasmineiromma) em

Além do mais, o líder da Rasthai e treinador da ex-campeã do KSW e atual lutadora do UFC Ariane Lipski, Renato Rasta deixou sua opinião sobre ser campeão do UFC treinando no Brasil:

Acredito que é difícil montar a equipe certa, mas não tenho dúvidas que temos excelente nível de strikers e grapplers de Jiu Jitsu no Brasil, somos carentes no wrestling e no boxe onde os gringos tem superioridade, mas principalmente a falta de acesso a alta tecnologia e ciência esportiva.
A Jessica Bate-Estaca é o exemplo disso onde o talento individual da força dela faz a diferença na categoria, as vezes para nós falta estrutura mas sobra na disposição e na força
Acho que o Charles do Bronx tem seguido a melhor linha de raciocínio do caminho em que o MMA brasileiro deve seguir, Jiu Jitsu e um Muay Thai ortodoxo com bastante footworking.
Essa é a linha que eu sigo com os meus, só que to focado em ir para lá também para suprir essas faltas que temos aqui e tentar ir deixando ainda mais completo o nosso trabalho.

Assim, como podemos observar acima, é possível sim ser campeão do UFC ou Bellator treinando no Brasil, mas o atleta terá que superar muitas dificuldades no dia a dia, como falta de apoio, falta de estrutura adequada em larga escala entre outras.

Vale ressaltar, que não existe uma regra para ser campeão de uma grande organização e cada lutador deve encontrar o mais adequado para sua carreira, pois para morar fora do país exige muitas adaptações. Como encontrar uma academia, aprender um novo idioma, se acostumar a uma nova cultura, tirar o visto além de outros detalhes muito importantes.

E aí, caro leitor, na sua opinião é possível conquistar cinturões das grandes organizações de MMA treinando só no Brasil?

Share.

About Author

Claiton Freitas

Um jovem gaúcho apaixonado pelo mundo das artes marciais mistas.