Denys Darzi faz as suas apostas para a temporada na arte suave

0

Treinador da Soul Fighters, Denys Darzi ainda analisou a evolução dos americanos no Jiu-Jitsu e o atual equilíbrio na modalidade

Por: MMA Premium

Responsável pela Soul Fighters Boca Raton, uma das mais conceituadas filiais da Soul Fighters nos Estados Unidos, Denys Darzi já ajudou a revelar grandes talentos para o Jiu-Jitsu. Ministrando aulas há aproximadamente três décadas, o treinador alcançou um feito para poucos, se tornando faixa-preta sexto-grau da modalidade. Conquista que apenas veio após anos de muito esforço e dedicação para com o esporte.

Praticando a modalidade desde os anos 80, o treinador vem de uma linhagem de verdadeiras lendas do Jiu-Jitsu como Francisco Mansour., Helio Gracie, Carlos Gracie e Mitsuyo Maeda. Quando jovem brilhou nos principais torneios da época como a “Copa Lightning Bolt”, “Copa Company” e “Copa Vansport”, além de algumas edições do Campeonato Brasileiro no fim da década de 90.

Amigo pessoal de Bruno “Tank” Mendes e Augusto “Tanquinho”, Denys tem ajudado os irmãos a elevar o nível da Soul Fighters para um novo patamar nos Estados Unidos.

Em entrevista, o treinador falou sobre a perspectiva para a sua equipe em 2020, a evolução dos norte-americanos na arte suave, além de fazer as suas apostas para esse ano na modalidade:

Perspectiva para a Soul Fighters Boca Raton em 2020

— O que venho observando nos EUA é que a partir do momento que você realiza um trabalho de forma séria, com qualidade e comprometimento, você verá sua academia crescer, mesmo que as coisas não andem exatamente na velocidade que você gostaria, elas estarão andando para frente, portanto, a minha expectativa com relação a nossa equipe aqui em Boca Raton, Florida é de crescimento. Eu sou muito grato pelos alunos que tenho, a maioria deles desenvolveu qualidades técnicas excelentes em muito pouco tempo de treino e com certeza farão bonito em qualquer competição, posso citar alguns como: Alfred Litvinchuk, Alejandro Hernandez, Charles Contreras, Doug Tate, Enoch Contreras, Enzo Angulo, George Spivak, Gonzalo Hernandez, Karl Hankammer, Milan Altabet, Patrick Kirnos e também o meu filho Lucca Darzi.

Surpresas no Mundial 2019 e o equilíbrio atual da arte suave

— Na faixa preta não sei se podemos dizer que foram surpresas porque alguns nomes já vinham fazendo bonito desde as faixas azul, roxa e marrom, mas com certeza a disputa vem aumentando a cada ano, o número de participantes cresce e o nível sobe, fica mais difícil sagrar-se campeão, todos querem sair dali com uma medalha, fazer seu nome, a fome por vitórias é imensa e o caminho fica cada vez mais árduo, exige mais treinamento, dedicação, cuidados com a alimentação, repouso e preparações específicas para se chegar ao resultado desejado, não é um caminho fácil para nenhum atleta, aqueles que chegam lá merecem todo o reconhecimento e respeito, é um caminho em que você tem que abrir mão de muitas coisas, exige muito foco,  sacrifícios, dores e abnegações.

Evolução dos americanos no Jiu-Jitsu

— O Jiu Jitsu continua crescendo muito nos Estados Unidos, praticamente todos os professores mais experientes se mudaram do Brasil para cá, muitos talentos têm sido descobertos e estão sendo lapidados, logo, a tendência é que atletas americanos ocupem um espaço maior no cenário das competições, com resultados cada vez melhores, isso é um processo natural.

Apostas para a temporada 2020

— São tantos grandes atletas que fica difícil falar apenas em alguns nomes, mas posso citar o Jonnatas Gracie, Adan Wardinsk, Michael Musumeci, Ana Drumond, Madison Wolfe, Nicholas Meregali, Thalison Soares, Felipe Preguiça e Kaynan Duarte.

Share.

About Author

Redação MMA Premium

Com uma equipe de redatores formada por estudantes e graduados na área de comunicação, buscamos trazer o que há de mais recente e curioso no mundo das artes marciais mistas.