fbpx

Faixa-preta destaca importância da “boa conduta” na hora da graduação

0

Hugo Mayer ainda falou sobre a sua graduação quando não acreditava “estar à altura da faixa”

Por: MMA Premium

Chegar à faixa-preta não é tarefa fácil para qualquer um, além de disciplina, são necessários anos de dedicação para alcançar a sonhada graduação. Um dos líderes da Soul Fighters Evidence, situada na Tijuca, zona-norte do Rio de Janeiro, Hugo Mayer já teve a experiência de graduar inúmeros atletas. Questionado sobre qual o momento certo de dar uma nova faixa aos seus pupilos, o professor revelou que a falta de confiança foi um dos principais problemas quando chegou à faixa-preta:

— O principal problema é se o aluno se desmotivar, achar que ainda não está à altura da faixa. Aconteceu comigo quando ganhei a minha faixa-preta e o meu mestre falou “Jiu-Jitsu você tem, você é um cara correto, você ajuda todos os alunos e já está preparado há muito tempo pra essa faixa, basta acreditar em você mesmo.” Na época eu fiquei um pouco perdido, mas depois vi que a nossa cabeça pode nos colocar lá em cima ou nos derrubar feio. Eu já dava aula sozinho na época, meus alunos lutavam alguns campeonatos e sempre estavam no pódio, sempre eram elogiados quando visitávamos outras academias e eu já estudava posições pra ver o que ensinar nas aulas. Percebi que era continuar nesse caminho e fiquei feliz do Marquinhos confiar em mim dessa forma. Tenho tido uma conversa com alguns alunos pra ver como eles se sentem em relação à graduação e percebi que tem alguns que estão na mesma situação. Minha meta é trabalhar a cabeça deles pra se sentirem bem quando chegar a graduação e eles continuarem treinando.

Pupilo do mestre Bruno “Tank” Mendes, um dos mais conceituados treinadores do cenário norte-americano da modalidade, Hugo Mayer acumula algumas passagens pelo EUA. Vice-campeão brasileiro de Jiu-Jitsu pela CBJJ esse ano, Hugo Mayer continua na ativa como atleta, além de conciliar a vida como professor na academia. Levando os principais conceitos da arte suave adiante, Hugo Mayer ressaltou o aprendizado que teve, destacando não só a importância da técnica, como também de uma boa conduta na hora de graduar um aluno na academia:

— O momento certo de graduar é quando se passa o ano (ou período de avaliação) e o professor vê que o aluno evoluiu não só no Jiu-Jitsu. Aprendi com meu mestre que um cara que não possui uma boa conduta não merece uma faixa só porque aperta todo mundo nos treinos ou ganha todos os campeonatos. Por sorte, os alunos que tive que graduar sempre tiveram uma boa conduta.

Responsável por afiar o jogo de diversas promessas do Jiu-Jitsu carioca, Hugo Mayer tem se destacado pelo trabalho com sua namorada, Patricia Marca, uma das maiores promessas do país na faixa-azul. Medalhista em diversas etapas das competições organizadas pela FJJD-Rio, o lutador falou sobre as principais metas para o fim do ano, além de destacar os treinos que terá no Texas com Bruno “Tank”, Igor Paiva, e outras feras da equipe no início de 2020:

— Vi a pontuação dos outros atletas e quantos pontos posso conseguir nas duas últimas etapas. Não vou conseguir alcançar muita coisa, então vou focar em lutar bem, continuar desenvolvendo meu jogo e me manter preparado para continuar lutando ano que vem. Para fechar o ano vou para a Guatemala visitar um amigo e lutar o campeonato de lá. Em janeiro vou ficar 20 dias no Texas, vou aproveitar para treinar bastante e começar o ano forte.

Enquanto afia o jogo de seus pupilos, Hugo Mayer ainda vai disputar dois torneios da FJJD-Rio, em busca da melhor colocação possível no ranking do estado.

Share.

About Author

Redação MMA Premium

Com uma equipe de redatores formada por estudantes e graduados na área de comunicação, buscamos trazer o que há de mais recente e curioso no mundo das artes marciais mistas.

Leave A Reply