Pedro Machado estreia com vitória nas artes marciais mistas

0

O caminho de um lutador de MMA é longo e para chegar até o topo é necessário passar por obstáculos

Por: MMA Premium

Em sua primeira luta como profissional nas artes marciais mistas, Pedro Machado teve sucesso ao finalizar Allef Carlos no último segundo do terceiro round na luta principal do NCE 29, que foi realizado dia 11 de agosto no Rio de Janeiro.

O duelo foi bastante equilibrado com os dois lutadores alternando bons momentos e quando a luta parecia que ia para a decisão dos árbitros laterais, Pedro Machado encaixou um belo mata-leão aos 4:59 do terceiro round.

– Foi uma grande estreia, fizemos um lutão, aplaudido por todos que estavam presentes no evento, fizemos a melhor luta da noite. Comecei bem no combate, levei o primeiro round com uma certa tranquilidade, fui bem até a metade do segundo onde cometi um erro e ele foi pras minhas costas, onde apanhei da metade do round até o final, simplesmente sobrevivi ao round. Voltamos para o terceiro round e daí foi coração das duas partes, pois o primeiro round tinha sido meu e o segundo dele. O round estava parelho, ele melhor em pé, bem contundente com chutes, e eu buscando as quedas, até que no final round consegui uma queda, progredi consegui a montada e ele virou deixando o pescoço, então aproveitei para encaixar o mata-leão – comentou Pedro Machado, que também falou sobre a emoção da estreia no MMA profissional.

– Foi sensacional, eu já estava na eminência de estrear a algum tempo, inclusive chegamos a negociar uma estreia internacional um dia antes do NCE, o que me garantiu estar bastante treinado para a data do evento. Já queria fazer isso a muito tempo, foi como se eu tivesse tirado um peso das minhas costas e finalmente ter realizado, de fato, um sonho que obviamente não acaba por aí, apenas dei o primeiro passo na direção correta, e como profissional – disse.

Após a estreia no MMA, Pedro Machado ainda pretende entrar em ação ainda em 2018 e sonha com a carreira internacional.

– Espero lutar pelo menos mais uma ou duas vezes até o final desse ano e buscar vitórias, sempre. Lutar em eventos que me deem cada vez mais visibilidade para chegar aonde quero em médio a longo prazo assinar um contrato com um evento estrangeiro e daí ver até onde a luta me leva – disse.

Pedro Machado tem o sonho de poder viver da luta, mas o carioca não descuida dos estudos já que aos 26 anos o atleta da Rio Fighters é formado em Administração e Marketing, além de estar cursando a faculdade de Educação Física.

– Eu luto única e exclusivamente por que quero e amo isso, sempre quis viver momentos como esse. Sou formado em Administração e Marketing na ESPM, poderia estar em um escritório, em uma multinacional por exemplo. Hoje em dia curso Educação Física na IBMR, minha paixão é o esporte de uma forma geral e eu quero trabalhar com isso, esse é o meio que quero estar inserido e construir minha carreira. É a luta que me traz essa realização como atleta que é totalmente pessoal, o que me tira uma certa responsabilidade quanto entro no octógono, por não ser a minha “única opção” e sim a minha escolha – disse.

Pedro Machado começou nas artes marciais com 15 anos no Boxe, mas devido aos estudos deu uma pausa em sua trajetória, retornando aos 19 já inserindo ao seu estilo a luta de chão.

– Meu primeiro contato com as lutas foi aos 15 anos, quase 16, treinei alguns meses de Boxe na academia que tinha me matriculado para fazer musculação, daquelas academias que oferecem mil serviços, dali conheci um amigo que morava próximo de mim, mais velho, que me levou para treinar na academia que ele treinava e comecei no Muay Thai, com 16 anos fiz a minha primeira luta armadora de Muay Thai pela Liga Carioca. Daí fiz mais uma com 16 anos também e dei um tempo de treinar por conta do colégio, ano de vestibular etc, fui voltar a treinar por volta dos 18-19 anos, já treinando à parte de chão também, luta livre com o mestre Aritano Barbosa, que hoje é meu amigo em particular um cara que admiro bastante e sou grato por ter reencontrado a luta com ele. Com 19-20 anos fiz mais uma luta amadora de Muay Thai na Copa Art Fighters.

Pedro Machado é pupilo do ex-UFC Miltinho Vieira e foi com o líder da equipe Rio Fighters, que o carioca teve seu primeiro contato com o MMA, onde fez sua estreia como atleta amador.

– Cheguei a lutar alguns eventos de Submission e já na faculdade de administração conheci o Miltinho Vieira quando fui treinar no Comando Barra, nome da equipe que treinava na casa do Reyzinho Duarte a convite do Daniel Hortegas, irmão de um amigo meu da faculdade que tinha visto essa última luta de Muay Thai no meu Facebook. As coisas foram acontecendo de forma orgânica e com a abertura da Rio Fighters, em 2013, pela primeira vez eu vi a possibilidade de lutar MMA de fato. Lutei como amador pela Rio Fighters por seis vezes, finalizando cinco delas e perdendo uma nos pontos. Sempre procurei conciliar os treinos com as aulas da faculdade e os estágios que fiz – disse Pedro Machado que confessou que demorou para começar a levar uma vida regrada, que é exigida de todo atleta profissional.

– Eu demorei a levar uma vida regrada, como um atleta deve no mínimo ter. Minhas quatro primeiras lutas amadoras foram com pouquíssimo treino, não fazia dieta, totalmente na vontade e com o coração. Com o passar do tempo e com o meu amadurecimento fui aprendendo a maneira correta de me portar não só dentro do octógono, mas que a preparação é pesada e exige 24 horas de dedicação diária – disse.

Assim como qualquer lutador de MMA, sonho de Pedro Machado é fazer carreira internacional.

– Meu sonho a ser alcançado é realizar lutas internacionais, tenho dois eventos como auge “da parada” que são hoje, o Bellator e o Rizin, diferente da maioria que mira única e exclusivamente o UFC. É lógico que também sonho com o UFC e uma oportunidade não seria nada mal também (risos), mas  tenho o Bellator como evento mais charmoso em minha opinião, desde que era só um fã e ainda estava longe de lutar. Então, meu maior sonho como lutador em termos de performance seria lutar lá – disse.

Até chegar ao topo do MMA a rotina é pesada e diversos lutadores precisam ter outro trabalho para se sustentar e com Pedro Machado não é diferente, o lutador precisa se dividir entre treinos, os estudos e aulas de Personal Fight

– Hoje trabalho como Personal Fight e curso Educação Física, por mais corrida que seja minha rotina, tudo que faço é em prol do esporte. Durante o dia ou estou dando aulas, ou treinando ou estudando. Tenho mil projetos pessoais que gostaria de realizar, mas para isso preciso construir uma carreira sólida – disse .

Share.

About Author

Victor Nunes

Comentários no Facebook