Promessa da GF Team vende “palha italiana” para ajudar nos custos como atleta: “Ainda falta muito incentivo”

0

Faixa-azul, Carol Borges busca o grande sonho de viver apenas da arte suave

Por: MMA Premium

Representante da GF Team Tubarão, Carol Borges é uma das mais promissoras atletas de Jiu-Jitsu da nova geração carioca. Campeã de inúmeros torneios juvenis, a lutadora ainda sofre com a falta de incentivo e dificuldade financeira, fase comum a atletas no início da carreira. Com o intuito de manter o sonho e continuar competindo, a lutadora vende a própria versão da “palha italiana” nas ruas do Rio de Janeiro:

— Quando comecei a competir, percebi que precisava conseguir dinheiro para pagar os custos e lembrei que com 14 anos eu vendi brigadeiro para pagar minha festa de 15 anos, então pensei em mudar um pouco, mas sem fugir muito da linha do doce. Desde pequena sempre ajudei minha tia a fazer doces, eu fui aprendendo e com o tempo já estava montando meus sabores.

Com a renda extra, a lutadora pode pagar as inscrições para os campeonatos, kimonos, além dos custos com hospedagem, alimentação, passagem e inscrições. A procura de patrocínios e apoiadores, Carol tem como um de seus maiores sonhos viver apenas do esporte. Questionada sobre a falta de incentivo e o que falta para que os atletas sejam mais valorizados, a lutadora ressaltou as eternas promessas, além de revelar a vontade de morar fora do Brasil no futuro:

— Ainda falta muito incentivo para os atletas que estão começando agora ou atá mesmo para os que já estão há um tempo no mundo da luta. Todos falam do incentivo ao esporte, mas só falam, não ajudam, não dão oportunidades para dar aulas em suas academias. Meu grande sonho é viver do Jiu-Jitsu, tanto competindo, quanto dando aula na minha própria academia. Minha principal meta é fazer tudo isso fora do Brasil, como nos Estados Unidos ou Europa.

Natural do Rio de Janeiro, a faixa-azul conseguiu ser um dos grandes destaques da sua graduação no Campeonato Nacional GF Team desse ano, ficando com o ouro na categoria dos leves. Prestes a completar 18 anos, a atleta ainda ostenta no currículo a liderança da categoria peso-pesado no ranking da FJJ-Rio no passado recente como juvenil.

Lutadora tem vendido a sua “palha italiana” no Rio de Janeiro

De olho em voos ainda mais altos na carreira, a atleta agora foca no Campeonato Brasileiro, além de avaliar a possibilidade de disputar o Mundial No Gi da modalidade em 2020:

— Estou bastante focada e concentrada em aprimorar meu Jiu-Jitsu competitivo. Estou a caminho do Campeonato Brasileiro, mas também estou de olho no Word No-Gi, ainda que seja apenas uma hipótese no momento.

O Campeonato Brasileiro da CBJJ acontece todos os anos na cidade de Barueri, região metropolitana de São Paulo, mas assim como todos os eventos os esportivos no país ainda pode não acontecer devido as medidas de segurança para contenção do novo coronavírus no Brasil.

 

Share.

About Author

Redação MMA Premium

Com uma equipe de redatores formada por estudantes e graduados na área de comunicação, buscamos trazer o que há de mais recente e curioso no mundo das artes marciais mistas.