fbpx

UFC SP: Ariane Lipski fala sobre sua luta

0

A rainha da violência volta ao cage no UFC São Paulo

O UFC ainda não conhece Ariane Lipski

Quem acompanha a carreira de Ariane Lipski sabe que as duas derrotas sofridas no UFC não são uma fração do que essa curitibana pode fazer.

Aos 25 anos a lutadora da Rasthai é uma especialista em nocautes, são 6 na carreira, as mãos pesadas de Ariane fizeram o KSW se encantar e sua ida para o evento europeu foi extremamente bem sucedida.

No UFC a brasileira ainda não se firmou, porém o duelo contra Veronica Macedo pode ser um divisor de águas nessa seca de vitórias.

Falamos com a nossa compatriota sobre seu duelo e a vontade de vencer e se provar se mostra nítida nas palavras da soberana do KSW, confiram:

Ariane, o que muda agora no combate, qual a maior diferença entre a Veronica e a Pedrita?

A diferença principal é que ela jogam em bases diferentes uma é destra e outra canhoteira. A segunda é que a Pedrita anda muito para frente e a Veronica anda muito mais para trás utilizando mais as pernas do que a mão e tem um chão com mais qualidade.

Como vem sendo a sua preparação?

Vem sendo em cima de corrigir os meus erros e potencializar os meus acertos, então ajeitamos os detalhes em relação a diferença entre a antiga oponente, mas o objetivo final é o mesmo, impor o meu jogo.

O que mudou na Ariane da primeira luta na carreira até está?

Nossa mudou muita coisa (risos). Sou muito mais madura, mais técnica, mais acostumada a superar as adversidades, acredito que sou muito mais forte hoje de uma maneira geral.

A meta de 2020 é o cinturão?

Uma das coisas que aprendi com as últimas lutas é de não aceitar a pressão, acredito que pela fase que eu entrei no UFC vindo de um ano bem ruim na minha vida, fez com que eu não estivesse no mesmo nível que eu estava quando fiz minha última defesa de título no KSW. Acabei sentindo a pressão quando entrei no UFC como uma promessa para logo estar disputando o cinturão, acho que isso não me fez bem, então a meta para 2020 é me consolidar no evento independente de título ou cinturão, quero vencer uma luta de cada vez e vencer todas que eu puder, se isso me levar até o cinturão ótimo, mas se não me levar tudo bem também, eu quero é sempre deixar tudo lá dentro e sair de consciência tranquila sabendo que dei o meu máximo, o resto é consequência. Acho que essa mentalidade vai fazer com que eu entre mais leve e assim consiga soltar todo o meu jogo e sair com a vitória.

Deixe um recado para os fãs

Obrigado por todos aqueles que apoiam nós atletas independente de vitória ou derrota, aqueles que se espelham na nossa superação diária para estar competindo, levando essa garra de superar os dias difíceis para a suas vidas pessoais e profissionais, sabendo o quanto é difícil prosperar em um país que valoriza tão pouco essa profissão heróica que é ser atleta.
Para todas essas pessoas maravilhosas muito obrigado e não percam mais essa grande batalha que estarei passando na minha vida, eu vou entrar lá com toda a garra do mundo para representar vocês, minha equipe Rasthai e a nossa nação!

Ariane Lipski
Ariane Lipski
Share.

About Author

Bill Santos

Abílio Santos, CEO do MMA Premium, sócio da Try mídia e gerente comercial da CRP MANGO. Todo sucesso vem do esforço e para isso não meço limites, um eterno fanático por inovação pela evolução.

Leave A Reply